Terça-feira, 30 DE Maio 2006

Acho que são óbvias as diferenças, mas mesmo assim resolvi escrever sobre elas. A começar pelo hino e bandeira, se não fossem diferentes também estávamos muito mal. Era sinal que éramos uma colónia deles. Nunca poderia ser o contrário, porque nunca vi uma colónia com o quintúplo da população do que o país que a governa.

Eles têm variedades de queijos que nunca mais acabam. Nós temos variedades de muita coisa que cheira mal, mas decididamente não são queijos. São mais ratazanas que por aí andam.

Eles têm muitos vinhos, entre eles o famoso Champagne. Nós também temos vinho espumante que é muito mais barato e faz o mesmo serviço. Sò que o deles é de marca registada produzido na região de Champagne. O nosso é produzido nas traseiras de uma adega qualquer. É o que dá ser pobre.

Mas a diferença que vos quero falar é acerca da organização de grandes eventos desportivos. Nós somos sempre elogiados. Temos organizações fantásticas que deixam o mundo todo de boca aberta (nós também ficamos, mas pronto. Os motivos são outros tais como as vergonhosas exibições das nossas equipas). A França por seu lado, organiza as coisas, ninguém os elogia mas o povo fica feliz da vida. Isto tudo para dizer que eles organizam e vencem as competições. Nós organizamos e vemos os outros vencerem. Se é assim, para quê gastar dinheiro?

O caso mais recente foi a tragédia da selecção de sub-21. Tanta euforia e depois foi a porcaria que se viu. No Euro2004, as coisas tb foram uma verdadeira tragédia... grega.

A França organizou o Euro84 e o Mundial98 e ganhou-os aos dois. A nossa única excepção à regra foi o Mundial de Sub-20 que organizámos e ganhámos. Mas há sempre uma excepção que confirma a regra... ou não?

publicado por Zé Luís às 19:58
sinto-me:
Domingo, 21 DE Maio 2006

O mundo já não é o que era e o Festival da Eurovisão também não. Era conhecido por ser a festa da música popular europeia. Bem, pelos vencedores de ontem, toda a gente vê que a música popular "morreu". "Hard Rock" no festival não lembra a ninguém. Ainda para mais sendo vencedor esmagador.

Passando ao vestuário usado por alguns concorrentes, há com cada um que só dá vontade de se desmanchar à gargalhada. Começando mesmo pelas "nossas" NonStop, o vestuário dava-nos a sensação de estarmos no canal Playboy. Com aquela roupa e a pena na cabeça, só me lembrava das famosas coelhinhas que tanto alegram o povo masculino. Para completar o quadro, a concorrente islandesa também tinha uma roupa muito jeitosa. A primeira coisa que me lembrei foi isto: "Foram embora as coelhinhas, agora vem a Coelha-mor".

A vestimenta usada pela concorrente croata também não era nada má. Tinhamos uma visão privilegiada sobre o que era um belo par de pernas. A coreografia proporcionava-nos esse momento de regozijo, pois ela tinha que levantar as pernas devido à dança folclórica.

Os próprios vencedores pareciam saidos da saga "Guerra das Estrelas". Às tantas, ajudou à vitória. Pelo menos assim ninguém se esqueceu deles e de lhes dar os pontos necessários à vitória.

A concorrente ucraniana era ideal para servir de modelo ao novo logotipo da Google. Tinha um belo par de "airbags" que podiam servir de letra "O" no motor de busca. Claro que este tipo de visão só foi possivel devido ao seu magnífico decote.

A terminar, "The last but not the least" os concorrentes lituanos também marcaram a diferença. Não tanto pelo vestuário, mas mais pela música. Tinha um título muito sugestivo: "We are the winners of Eurovision". A letra é que era um pouco repetitiva. Tirando o refrão que era igual ao título, o resto não passava de "Vote for the winners". Quem fez a letra da música certamente inspirou-se no nosso Mourinho. Antes de entrar em campo, já é vencedor. Há quem chame confiança a esse tipo de comportamento. Pessoalmente, considero arrogância. Cada um sabe de si.

Para concluir mesmo, fiquei imensamente surpreendido ao ver a Kate Ryan dar-se a uma humilhação de nem ter sido apurada para a final. Será que ela precisava de passar por isto? Pensava eu que ela tinha uma carreira firmada no mundo da música... aparentemente não.

A concorrente sueca Carola "qualquer coisa" (não me lembro do apelido), também ainda deve andar à procura de alguém que a lance a sério no mundo musical. Participou em dois festivais com um intervalo de 14 anos. Durante este tempo, possivelmente andou perdida no país à procura de uma mão (ou editora discográfica) amiga.

Resumindo, a participação lusa acabou por ser muito coerente. Primeiro, cantou em inglês como todos os outros. Segundo, não fugiu ao habitual triste Fado português. Antes era ficar em último. Agora com a eliminatória, já não passamos essa vergonha. Somos logo eliminados nessa mesma eliminatória.

P.S.: O Festival da Eurovisão já nem devia ter música. Primeiro porque  já ninguém canta na sua língua. Depois porque os pontos são atribuídos pelas amizades entre países e não pela qualidade das canções.

publicado por Zé Luís às 10:42
música: Cavaleiro Andante.
Quinta-feira, 18 DE Maio 2006

Lembrei-me de passar por cá e dizer-vos o que tem sido a minha vida nos últimos tempos de uma forma clara e que não deixe dúvidas absolutamente nenhumas.

Há uns meses atrás comprei um bilhete de lotaria. Pensava eu que não tinha ganho nada. Há pouco tempo descobri que afinal não tinha ganho o prémio na totalidade, mas apenas uma terminação. Já não é mau. No entanto, por outro lado descobri que com outro bilhete que nem sabia que o tinha, ganhei o prémio na totalidade. O problema é saber o que fazer com o prémio. Às tantas já passou o prazo para o reclamar, mas pelo menos fiquei feliz de saber que o ganhei. É esquisito, não?

Obviamente, isto tudo para dizer algo muito diferente do que está escrito.

Lembro-me perfeitamente como se tivesse sido há dez meses atrás (e foi mesmo há dez meses atrás), de ter dito que o blog servia como diário. Pois bem, o meu serve para isso, mas precisam de um dicionário de Psicologia. Possivelmente, alguém saberá do que falo. Quem souber, que responda. A melhor resposta ganhará um prémio.

 

publicado por Zé Luís às 14:30
Sexta-feira, 12 DE Maio 2006

Pensava eu que o campeonato tinha acabado e agora nós estariamos a pensar no Europeu de sub-21 e do Mundial. Seriam uns dias sem levar com futebol jogado. Realmente é verdade. Futebol dentro das quatro linhas não temos nenhum. Agora fora delas, é com cada jogada digna de um Eusébio ou Pelé.

Comecemos pelas trocas de treinadores. Poucos são aqueles que se mantêm no "poleiro". O Ronald Koeman bem tentou "maquilhar" a situação, mas estava mais do que visto que ele não ficaria por cá. O Benfica aguentou-o porque despedi-lo significava o pagamento de uma indemnização. No entanto, logo que apareceu o PSV Eindhoven, foi o "vê se te avias" na Luz. O Benfica acabou por ganhar uma boa quantia (sempre dá para pagar dois meses e meio de ordenado ao "aborto" do Robert) e livrou-se de um sarilho.

É verdade que ele também queria ir embora por "motivos familiares". Eu compreendo, pois caso ele ficasse, a pobre mãe do homem iria ser chamada de muita coisa. Ele quis poupar esse sofrimento à mãe (toma e embrulha).

O Koeman chegou à Holanda e sacudiu as culpas todas, dizendo que num clube como o Benfica é difícil cumprir o contrato, porque os adeptos e a Comunicação Social exercem muita pressão. Na minha opinião, ele apenas mostrou que não tem estofo para ser treinador de um grande clube. O rapaz amedronta-se com os adeptos, só mostra que ele é pequeno demais para o clube em questão. Resumindo, fez bem em ir embora.

Manuel Machado continua a sua saga de levar clubes à Europa e depois "abandoná-los". Aconteceu o ano passado com o Guimarães e voltou a acontecer este ano, com o Nacional da Madeira. Mas há mais uma curiosidade no meio disto e que é esta. Na época 2003/2004, ele treinou o Moreirense e no ano seguinte foi embora. Nesse ano, em que ele abandonou o clube, o Moreirense desceu de divisão. Na época 2004/2005, Manuel Machado tinha o Guimarães para comandar. Comandou-o muito bem até à Taça UEFA. No ano seguinte foi para o Nacional. A questão é que o Guimarães desceu de divisão depois de Manuel Machado ter saido.

Portanto, seguindo a lógica o Nacional no próximo ano não escapa da descida, já que Manuel Machado abandonou o clube insular por "razões pessoais e familiares". Concordo plenamente. As razões familiares já eu expliquei quais são. As razões pessoais são certamente porque ele queria comprar um automóvel com o dinheiro do mês, mas o Rui Alves não lhe pagava o suficiente. Então vai para a Académica. Pode ser que aldrabem os estudantes e desviem o dinheiro para satisfazer o sonho ao homem.

O Carlos Brito bem tentou "dar manteiga" no João Loureiro mas acabou mesmo no "olho da rua". A familia Loureiro é aquilo que já sabemos. Quando não conseguem atingir um objectivo (não chegaram à Taça UEFA), a 1ª vítima é sempre o treinador. Mesmo que o treinador não tenha culpa... passa a ter.

O caso mais esquisito é o Jesualdo Ferreira. Ele só pode ter saido do Braga por discordância nos planos para a próxima época. É a única explicação que encontro. Agora ele vai servir de "saco de pancada" da família Loureiro, pois vai treinar o Boavista.

E pronto, esperemos que a época tenha acabado de vez. Caso contrário volto cá para escrever mais umas asneiras... verdadeiras.

publicado por Zé Luís às 19:06
Segunda-feira, 08 DE Maio 2006

Extraordinário!!! É o melhor que se pode dizer do fim do campeonato. Ficámos a saber que ninguém está livre da descida. Sendo assim, o Benfica que se "ponha a pau". Pode ser o próximo "histórico" a descer ao Inferno da II Liga.

Com um guarda-redes assim, é bem provável que isso aconteça. O golo sofrido frente ao Paços de Ferreira é digno de ser mostrado aos miúdos que queiram ser guarda-redes. Com uma legenda por baixo a dizer: "Isto é burrice", os putos aprenderiam rapidamente. É claro que o golo sofrido pelo Ricardo na semana passada, vinha com uma enorme legenda, logo a baixo a dizer:" O outro é burrice, este nem tem comentários possiveis".

Porque raio temos que levar com guarda-redes assim no nosso campeonato? Depois admiram-se de termos um campeonato nivelado por baixo. Realmente em termos "aviários", o campeonato está bem servido. É com cada frango e perú que ficamos a pensar se estaremos no Natal... em Maio.

Eu tenho uma explicação para o sucedido na Mata Real. O Benfica não quer que os seus adeptos sofram à espera da nova época. Portanto, fazem aquelas tristezas na última jornada e assim os seus seguidores (eu incluído) até suspiram de alívio com o fim de tão grande pesadelo.

Quanto ao Vitória de Guimarães, sofre da maldição dos adeptos encarnados. Os adeptos dizem que a equipa que trama o Benfica, desce de divisão. Pela lógica, desceriam o Sporting e a Naval também. Só estes dois clubes, "limparam" 10(!) pontos ao Glorioso.

O Belenenses conseguiu o "impossivel". Tem o melhor marcador do campeonato e desceu à II Liga. Belo paradoxo. Agora deixo uma pergunta:" Onde raio marcou ele tanto golo, que não se traduziram em pontos?". Às tantas, ele marcou os 17 golos em dois ou três jogos.

Finalmente, quero dar os parabéns aos vencedores (embora me custe) e dar os pêsames aos derrotados (Koemam, Luís Filipe Vieira e José Veiga). Os três perderam e bem perdido. Venderam "banha de cobra" aos milhões que seguem o clube como se de uma religião se tratasse. O pior é que o presidente já começou a vender o mesmo tipo de "banha" e ainda nem fechámos esta desgraça.

Futebol de férias... já (Caraças, ia-me esquecendo que temos um Europeu de Sub-21 e um Mundial para rogarmos mais uma cambada de pragas ao Scolari e companhia)

publicado por Zé Luís às 19:06
Domingo, 07 DE Maio 2006

Esta semana teve apenas quatro dias de trabalho. Pois claro, trabalho!!! A formação que estou a frequentar é um trabalho como qualquer outro. É em tudo semelhante: temos horários a cumprir, satisfações a dar e mais importante de tudo é sermos lixados e mal pagos como em qualquer trabalho que se preze neste país.

Logo na 3ª feira a minha colega e amiga completou mais um aniversário. Foi um dia animado, pois eu tentei manter a boa disposição do grupo sempre em alta. Como ela própria disse-me: "tu és a alma deste grupo ". Somos só seis, mas com histórias que dava para fazer um best-seller. A verdade é que já interiorizei isso mesmo e tento animar o grupo, sempre que me parece oportuno. A verdade é que a minha amiga completou mais um aniversário, porém eu é que recebi o "embrulho". Obviamente, não vou dizer o que foi. Só digo que a "prenda" foi muito original e não é todos os dias que se recebe algo assim.

Também neste dia aconteceu-nos algo inédito, pois tivemos dois formadores na sala de formação. A história é simples de explicar. A formadora que nos acompanhou durante muito tempo, ia embora na 3ªfeira. Só que  o formador que nos daria a formação seguinte apareceu-nos nesse mesmo dia, pensando que nesse dia iniciava a sua participação. Concluindo, ele foi embora para voltar no dia seguinte.

Neste mesmo dia, acho que enterrei de vez um assunto (entre outros) que me perturbava. Mas acho que ficou totalmente resolvido. Mas como a vida sem problemas não tem piada e perde-se a adrenalina, com certeza irão aparecer outros.

No dia seguinte, apareceu-me um verdadeiro "bico-de-obra". Mais um belo "pé-de-vento" com a minha amiga virtual do continente. É o que dá sermos sinceros. Às vezes é muito melhor estarmos calados. Pelo menos poupam-se chatices. E depois há quem diga que a frontalidade deve estar sempre presente. Obviamente, discordo. Mais uma vez resolvemos o assunto.

Quanto à formação, tivemos um formador novo. O prgrama Photo Shop é motivos para boa disposição, pois podemos fazer de tudo, incluindo distorcer fotos. Fartámo-nos de rir à conta dos "bichos monstruosos" criados por nós.

Na sexta-feira,  o dia também foi animado sempre à conta do Photo Shop. É claro, a hora de almoço como é habitual neste dia da semana, foi motivo para o meu colega dizer mais umas valentes asneiradas às não menos habituais meninas do cabeleireiro. A frontalidade dele roça a estupidez. Eu tento controlar mas é impossível.

Neste dia,  por exemplo ele disse uma asneirada e eu como forma de lhe dar sinal, mandei-lhe uma sms, estando ele a meia dúzia de metros de mim. Era uma forma de brincar e dar-lhe a perceber que tinha que se controlar. Azar dos azares, o sítio onde ele estava não tinha rede. Mas ele acabou por receber o sms, mas mais tarde.

Foi uma semana gira, com emoções fortes. Para mais tarde recordar... ou esquecer.

P.S.: Parabés, juniores do CF União pelo bom campeonato no Campeonato Nacional de Juniores da I Divisão. O 8º lugar é totalmente justo.

publicado por Zé Luís às 11:44
Segunda-feira, 01 DE Maio 2006

Que o povo português é o povo mais teso da Europa, todos já sabem. Não é novidade para ninguém. Mas há um caso flagrante onde se nota isso. Não é no futebol, mas sim na música. No dia 3 de Novembro de 2005, tivemos a honra de receber cá alguns dos maiores artistas internacionais do panorama musical actual, para a gala dos MTV Awards.  Foi uma gala com pompa e circunstância, onde ficou mostrado que somos uns tesos do caraças. Mesmo a cantar em inglês, tivemos "direito" a ter um prémio só para nós. Fomos distinguidos com o prémio da discriminação, porque simplesmente não há ninguém que consiga competir com as "Shakiras" e afins. Mas não é tudo. Basta estarmos atentos ao canal de música MTV e prestarmos atenção aos videoclips das bandas portuguesas. Seguidamente fazemos uma pequena comparação com os videoclips internacionais. As diferenças são abismais.

Comecemos pela música "Feeling Alive" do Gomo (não sei se de laranja). Uma música em que o videoclip ensina-nos como fazer uma coisa daquele género por nossa conta. Do princípio ao fim, aquela coisa passa-se dentro do quarto do homem. Não deve ter havido dinheiro para mudarem de cenário. Os amigos que depois aparecem, de certeza absoluta chegaram lá de autocarro, porque como somos "tesos" até dizer chega, não há dinheiro para táxi.

Outra das músicas que mostra o nosso "portuguesismo" é "If you give up" dos Hands Of Approach. A música até tem uma batida gira. Eu que até nem sou fá do grupo, até gosto da da música. No entanto, o videoclip sofre do mesmo mal da anterior, ou seja falta de verbas. Só assim se explica que o video seja rodado na totalidade dentro de um sótão que dá a ideia de ter pouco mais de 5m2. Lá estão os "tristes", todos enfiados no cubículo. Possivelmente estavam a rezar para que o video acabasse o mais cedo possivel.

Os Squeeze theeze Pleeze também afinam pela mesmo diapasão. Em tempo de crise, economizar o mais possível. Estes pelo menos aumentaram o tamanho do cubículo. Dá a ideia de ser uma garagem. De resto é tudo igual. O inglês volta a ser a língua escolhida, mas nem por isso tiveram direito a serem nomeados em conjunto com os ingleses nos MTV Awards. "Quando não há cão, caça-se com gato", é o melhor que se pode dizer.

Boss Ac com a música "Princesa" apesar de repetir o mesmo, ou seja uma divisão da casa para o video todo, foi mais inovador. Mostra-nos a ele numa cama numas cenas interessantes com a Merche Romero. Que ela é boa como o milho, não há dúvidas, nem precisávamos disto para comprovar. Mas quem pode dizer melhor que ninguém é o Cristiano Ronaldo. Eu não sei de nada, é o que dizem.

Estes foram apenas 4 exemplos da nossa pobreza monetária (mas rica de ideias... especialmente o último de que vos falei).

publicado por Zé Luís às 14:45
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
Maio 2006
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
13
14
15
16
17
19
20
22
23
24
25
26
27
28
29
31
últ. comentários
Este post já é antigo mas faz todo o sentido! Para...
Era perfeito! Mas não sendo possível, pode ser que...
É! Pelo menos desta vez não houve aquele sofriment...
olá, ... olha tens um desafio no meu blogue para c...
Olá, venho aqui hoje, pra te colocar um desafio, o...
Também acho que tens razão, acima de tudo esses ac...
ahahah está certo!
Hum... não se se ele vai conseguir acabar lá. Quer...
pois, azul e preto há é branco que quero dizer, é ...
Serviço público, eu vou-te dar o serviço público, ...
subscrever feeds
blogs SAPO
Olhe as horas, para não perder pitada do jogo
relojes web gratis
Web Counter
No Faxing Payday Loan