Segunda-feira, 24 DE Abril 2006

Como esta época desportiva (nomeadamente futebol) está a acabar, eu decidi entregar alguns Óscares a alguns protagonistas dessa mesma época. Esta votação foi feita por três pessoas e que foram: Eu, Me e Moi-même. Espero que gostem.

Óscar Melhor Actor: O vencedor é... Ibson (F.C.Porto). A razão é simples de explicar. O penalty que ele "arrancou" em Penafiel até pode ser penalty, não digo que não. No entanto, os festejos que ele fez após o árbitro apitar, dão todos os indícios de ele próprio saber que simulou e ficou radiante, pois a "actuação" saiu às mil maravilhas. Ajudou também o facto deste penalty ter decidido de vez o campeonato.

Óscar para Engano(s) do Ano: Os Vencedores são... o golo do Paços de Ferreira frente ao Braga e ainda a não-validação do golo do Leiria frente ao Sporting. No 1º caso, ninguém entende como é que o árbitro assistente não viu a bola para fora das quatro linhas, estando acerca de 10 m. No segundo caso, também é gritante a falta de vista do árbitro assistente que não viu a bola cerca de meio metro dentro da baliza. O Ricardo tirou-a prosseguindo o jogo (como era o seu dever). O árbitro assistente depois coçou os olhos, como que a dizer: "Esta falta de vista está a matar-me"

Óscar para Melhor Argumentista: Decidi entregar este prémio ao Paulo Bento. O homem, desde que o Sporting não ganhe, consegue fazer uma "novela" do sucedido. O protagonista é sempre o mesmo, ou seja o árbitro. Mesmo estando 10 jogos sempre a vencer, ele não perdeu o jeito de fazer as suas "novelas".

Óscar para Melhor Argumentista de Ficção Científica: Este vai direitinho para o... Luís Filipe Vieira. Merece justamente o Prémio, pois impingiu a Ficção do Benfica Bi-Campeão como ninguém. Provavelmente houve gente que acreditou que ele estava a falar verdade. Porém, não se lembraram que ele vende muito bem ficção.

Óscar para Melhor Efeito Especial: Este vai direitinho para Co Adriaanse, pois no princípio da época era o Vilão e após uma boa caracterização e muitos "maquilhanços" acabou por ser o Herói da trama. Agora é um deus. O Jorginho (FC Porto) também o merece, pois passou de mal-amado a herói ao marcar um golo quase decisivo em Alvalade.

Óscar para Melhor Penteado: Sem dúvida Ricardo Quaresma, já que à custa do seu penteado está na lista do Real Madrid  para reforço da próxima época. Obviamente é por causa do penteado, já que aquele penteado não terá problemas em servir de imagem a um gel qualquer.

Óscar para o Maior "Aborto": Laurent Robert (SL Benfica) foi o escolhido pela "nossa" votação. As razões prendem-se com a relação produção/vencimento. Lá ganhar muito ele ganha, mas produz muito pouco. Apenas um golo (que diga-se alegrou milhões) mas nada mais. Não corre, não defende. É um zero à esquerda. O Marcel e Marco Ferreira (ambos do Benfica) também se revelaram uns belos abortos.

Óscar para Maior Servidor de Frangos: Vítor Baía sem margem para dúvidas. Os "frangos" na Luz e na Reboleira conferem-lhe esse estatuto. Para um guarda-redes do calibre dele, podia fazer um pouco mais se o Adriaanse deixasse. Podia servir mais uns dois ou três frangos.

Óscar para Maior Frango do Ano: Apesar do Baía ter arrecadado o prémio de maior servidor de frangos, a nossa votação acabou por recair em Jorge Baptista (Gil Vicente FC). O golo que sofreu frente ao Benfica após um atraso de um companheiro, não tem concorrência possível. Foi um frango enormíssimo, maior que o Estádio da Luz (embora tenha sido no Adelino Ribeiro Novo).

Óscar para Maior Teimosia: Sá Pinto foi o escolhido. O rapaz está a terminar a carreira e quer fazer algo memorável e por isso não desiste. À 30ª jornada, foi expulso frente ao FC Porto. O castigo foi de apenas de um jogo, o que fizesse com que regressasse à 32ª jornada. Aí voltou a fazer o mesmo, ou seja levou um vermelho. Com um bocadinho de sorte, não jogará mais esta época, acabando a sua carreira em beleza. Se assim for, o fim da linha dele será apenas um espelho da carreira onde chegou a bater num Seleccionador Nacional.

Óscar para Maior Sortudo: Moretto é com certeza o maior sortudo do Ano. Primeiro porque de um momento para outro viu-se "entalado" numa briga entre o FC Porto e o SL Benfica. À conta disso, foi elevado à condição de "Salvador da Pátria". Depois de resolvido o conflito, deram-lhe a baliza do Benfica como "prenda", sem ele ter mostrado nada há ninguém (o Quim é que se lixou com esta brincadeira). Outra das razões para este Prémio é a sorte que ele tem em certos lances, pois mete água mas algo divino o protege e ele ainda não levou um "frango" a sério. Finalmente, defender um penalty do Ronaldinho Gaúcho em pleno Nou Camp realmente não é para todos. Agora digam lá se o homem não é um sortudo?

Óscar Carreira: Obviamente o feliz contemplado é... Pinto da Costa. O provérbio: "O crime compensa" encaixa-lhe que nem uma luva (às tantas foi feito propositadamente para ele). Não é que descobriram que afinal o homem é inocente no Processo "Apito Dourado"? Segundo as minhas fontes, de ontem para hoje foram feitos todos os esforços para que fosse enviado o processo para o Vaticano, já que Pinto da Costa será beatificado em breve. Converteu-se e largou as prostitutas (mais precisamente Carolina Salgado). Portanto, título de Papa já ele tem. Só falta lavar-lhe os pés e pô-lo no altar. Pelo que se percebe, isso estará para breve.

 

publicado por Zé Luís às 17:54
Sexta-feira, 21 DE Abril 2006

Eu prometi ir dando conta do que ia acontecendo. Porém esta semana foi calma, sem grandes coisas para contar. Tirando o facto do meu telemóvel ter tirado a semana para me "chatear", eu ter ficado na quarta-feira durante a tarde com duas colegas na sala de formação (bendito sejam os homens entre as mulheres) e hoje (sexta-feira)ter acontecido talvez a cena mais hilariante que me lembro desde que estou no Centro (já não é assim tão pouco), não aconteceu nada de extraordinário. Começando pelo princípio, o meu telemóvel achou de "arranjar" uma doença, no mínimo esquisita. Então não é que o "malandro" agora recebe e manda sms's e também recebe chamadas. O problema é quando é para fazer uma chamada, porque nunca sei quando é que ele está na "disposição" de a fazer. Às vezes, faz a chamada mas no mesmo instante, já rejeita o cartão. Fui à loja onde o comprei e realmente quem lá estava, disse que nunca tinha visto nada assim. Mais esquisito é o facto do cartão dar normalmente num outro telemóvel qualquer. E qualquer outro cartão dar no telemóvel. Como estamos na Primavera, com certeza que é um caso de alergia entre o telemóvel e o cartão. Passando  adiante, na quarta-feira fiquei com as duas colegas sozinho na sala de formação. Com as mulheres, só me surpreendo e foi o que aconteceu, pois uma das minhas colegas fez umas declarações "bombásticas" acerca de um "pseudo-amor". Passando a hoje (sexta-feira) aconteceu comigo talvez a cena mais hilariante desde que estou lá. Estavamos nós, eu e o meu colega a apanhar sol depoiso do almoço. Nesse mesmo espaço estavam também as meninas do curso de cabeleireira (sempre elas... qualquer dia ainda se tornam vedetas do meu blog). O namorado de uma das meninas do curso disse a outra menina que ela tinha se esquecido da saia. Realmente a saia era curtíssima. O meu colega podendo estar calado, não se conteve e disse que ela não tinha se esquecido da saia, mas que se ela quisesse tirá-la estava à vontade. Eu ri como há tanto não ria. À conta disto, fomos chamados de descarados pela rapariga da mini-saia (mais parecia um cinto). Embora quem tivesse dito a asneira foi ele, mas eu "apanhei" por igual. Depois uma das Técnicas do Centro de Formação também quis saber que história tinha sido aquela. Nós rimos e voltámos a ser chamados de descarados. Nunca pensei que isto me acontecesse mas até foi divertido. Esta semana acabou "em grande" , já que a minha sociedade com o meu colega começou a dar lucro (pelo menos está melhor do que as SAD's de futebol).

publicado por Zé Luís às 20:07
Terça-feira, 18 DE Abril 2006

Que o nosso Papa era conservador, nós já sabiamos. Mas estes novos pecados são muito interessantes e demonstram esse mesmo conservadorismo ao extremo. Eu até entendo esse  "novo" conceito de pecado. Quem lê jornais, navega na Internet e vê televisão, realmente tem pouco tempo para orar. Só que há um pormenor. Não é apenas isso que tira tempo às pessoas. Há muito mais coisas e seguindo a lógica, tudo o resto é pecado. Desde que não estejamos a orar, tudo o que estejamos a fazer, é pecado. Mas deve ser interessantíssimo uma confissão com estes novos pecados. Eu por exemplo teria que dizer que cometo três pecados em um. É verdade, por vezes estou na Internet a ler jornais e a ver televisão. Não sei qual é a penitência para este tipo de pecados. Só espero que seja leve, pois sempre ouvi dizer que "à dúzia é mais barato". O Bispo das Forças Armadas, D. Januário Torgal Ferreira também já disse que deve ser um dos maiores pecadores com estes novos "crimes" na lei Católica. Ele disse que via muita tv, lia jornais e navegava muito na "rede mundial". Se um membro da Igreja diz isto, então nós também temos direito a pecar, não? No entanto, há algo que não ficou muito claro. A partir de que tempo é que passa a ser pecado? É que se soubéssemos, sempre poderíamos fazer qualquer uma das actividades com um cronómetro para medir o tempo, para não excedermos o limite permitido. Desde que o limite seja pelo menos de 90 minutos, não me importo. É que tem que dar tempo para ver um jogo de futebol completo. O problema é quando há prolongamento e grandes penalidades. Mas isso resolvia-se com uma multa por excesso de consumo de meios audiovisuais. Quando se excede temos que pagar. Nem que seja com dinheiro. A Diocese também agradece...

publicado por Zé Luís às 14:13
sinto-me:
Quarta-feira, 12 DE Abril 2006

A TVI continua a apostar na inovação a nível dos "reality shows". Depois do "Big Brother" (em quatro séries que nos levaram ao enjoo), inventaram o "Big Brother Famosos" (uns nem os conhecia de lado nenhum, mas pronto). Como perceberam que aquele formato já tinha dado as últimas, fecharam um ciclo e a mulher do "isso agora não interessa nada" foi embora. Obviamente falo da Teresa Guilherme que agora está a dar uma de actriz na SIC. Certamente muitas pessoas pensariam que esta fase do "voyeurismo", ou seja ver a vida alheia tinha terminado. Puro engano, pois a TVI desencantou (não sei de onde), a ideia de pôr aquela gente que só comia e coçava as partes íntimas o dia todo, a fazer alguma coisa. Veio a "Quinta das Celebridades" e abriu-se o ciclo da Júlia Pinheiro e do Zé Castelo Branco (o verdadeiro palhaço de serviço). Ver aquela gente como a Lili Caneças no meio do estrume de vaca, até foi divertido. Mentiria se dissesse que não via, pois até vi. A "ave rara" do Castelo Branco no meio da agricultura era como pôr um homem urbano de fato e gravata a cuidar de vacas. O homem pensava que estava no meio de um palco qualquer. Certamente que ele não foi convidado pelos seus dotes agrícolas, mas sim pelo espectáculo que daria um homem (com mentalidade feminina) no meio de um trabalho tipicamente "macho". Depois de duas edições, passaram à "1ª Companhia" onde os nossos famosos (alguns só se for na rua deles) sentiram um bocadinho do que era ser militar. Novamente, o "palhaço de serviço" foi chamado e aí foi o fim da picada. Parecia uma borboleta no meio de uma manada de bois. O que toda a gente fazia em força, ele (ou ela, nem sei) fazia com delicadeza que até metia impressão. Agora está o "Circo das Celebridades" onde o Castelo Branco desempenha o seu verdadeiro papel. Ele sempre fez de palhaço, mas agora está no sítio ideal. No entanto, tenho que lhe tirar o chapéu. O "homem" entrou numa jaula de leões. Aí viu-se a sua verdadeira coragem. Deixou de ser "bicha" para estar no meio dos "bichanos" (ricos bichanos). Mas a verdadeira novidade está a chegar à TVI. Depois de os concorrentes terem estado presos numa "jaula" no "Big Brother" (desculpem... queria dizer casa), de terem numa quinta a cheirar a "cavalo", de sentirem na pele a dureza militar e servirem de "palhaços" para a população portuguesa, chegará em breve o "Convento das Celebridades". As verdadeiras cabeças de cartaz já estão acertadas e serão a Liliana Queirós (Miss Playboy 2005), Carla Matadinho (Miss Playboy 2003 ou 2004, nem sei ao certo) e Soraia Chaves (a actriz das cenas jeitosas do "Crime do Padre Amaro"). Como padre do convento será convidado... José Castelo Branco. Ninguém corre perigo nenhum com o rapaz. E ele sempre dava o seu contributo às "palhaçadas" da TVI... como sempre.

publicado por Zé Luís às 19:19
Sábado, 08 DE Abril 2006

Uma semana para não esquecer tão facilmente. Aprendi muito e descobri que posso fazer mais por mim do que fazia. Contudo, vamos por partes. Na semana anterior a esta que passou, eu andava nervoso e ansioso, pois sabia que esta semana iria levar-me aos meus limites. Eu bem tentei fugir ao "teste" e até levantei algumas hipóteses de ir e vir todos os dias, mas todas ficaram por terra. O objectivo era não ficar no Lar do Centro de Formação. No entanto, acabei mesmo por ficar. No domingo, eu já andava a Leste porque sentia que o grande momento aproximava-se. Estava tenso e nervoso. Tentava descontrair mas não conseguia de nenhuma forma. Na segunda-feira, foi mesmo o fim. Eu estava praticamente em pânico. A carrinha chegou para me levar. Aí senti um alívio da pressão (pequeno mas senti). A condutora disponibilizou-se a ir buscar-me na quarta-feira e depois ir lá levar-me na quinta-feira. No estado em que estava, nem hesitei e aceitei a proposta. Ela até disse que era para eu ver o jogo do Benfica em casa (como se não houvesse televisão lá). Mas era apenas um pretexto para eu vir a casa e aliviar a tensão. Depois de chegar lá, acalmei e meti na cabeça que estava por minha conta e risco a partir dali. A verdade é que o dia correu bem. A minha verdadeira aventura só começaria a partir das 5 da tarde, altura em que entraria no Lar. Depois de acabar a Formação, o nervoso miudinho voltou como era normal. Chegado ao Lar, fui encaminhado para o quarto e lá desarrumei a minha tralha com a ajuda do meu colega de quarto. Não vou dizer que fiquei a conhecer os meus colegas de quarto (foram dois), porque já os conhecia do Centro de Formação. Convém referir que as conversas que tinhamos lá dentro, algumas eram ideais para maiores de 18. Também era normal, pois era um quarto de homens, mas foi divertido. Depois de instalado, ter ficado a conhecer algumas regras do Lar e um dos Técnicos, fui para a sala de estar ver um pouco de televisão. Eis senão quando o Técnico diz-me assim: "Senhor José Luís, quando é que está a pensar tomar banho?". Aqui começou a minha verdadeira lição de vida. Eu prontifiquei-me e lá fui para a "1ª aula de autonomia". Eu digo isto porque nunca ninguém puxou por mim em termos de "desenrascanço" como fui puxado nesse dia. Fui para o quarto, despi-me quase na totalidade sozinho, sem grandes ajudas. Fui colocado no chuveiro e passei ao "desenrasca-te sozinho". Fui o que fiz, tomei banho sem a mínima ajuda. Mostrei a mim próprio que sei fazer as coisas. Isto estava a ser muito perfeito para o primeiro dia. Porém logo veio o lado mau da história. Não pus a roupa à mão para depois do banho, coisa que devia ter feito antes. Tive direito a um sermão que não se voltou a repetir durante a semana. Aprendi a dura 1ª lição. Depois fui jantar e ver televisão até às 21h30m. Durante a estadia a ver televisão aconteceram-me duas coisas antagónicas. A primeira foi falar ao telemóvel por mais de meia hora com a minha amiga e eu adorei. Foi uma forma de apoio psicológico e que eu estava a precisar. A outra foi ver uma rapariga que também lá está no Lar a chorar compulsivamente. Parte-me o coração ver alguém chorar, mas uma rapariga tão nova a chorar foi uma dor de alma. Tive que me controlar para não me emocionar. Ainda houve uma "serenata" do Sr. Emanuel que ia dando uns toques de guitarra. O homem nem toca assim tão mal. Depois a cama passou a ser o próximo local desse dia. Bem estava precisado depois deste dia. Mas o sono foi tudo, menos tranquilo. Acordei várias vezes na noite e a cama foi uma coisa estranha a que eu não cheguei a habituar-me totalmente durante a semana. O segundo dia correu melhor. Já estava com a rotina mais ou menos organizada. Já não tive direito a sermão, pois em geral aprendo com os erros. Nessa noite, tive direito a mais um telefonema de outra amiga. Foi mais um balão de oxigénio para a minha moral. O engraçado foi que estávamos a ver um filme e eu tive que sair da sala para falar ao telemóvel. O barulho era ensurdecedor. Lá fui eu e estive à conversa cerca de vinte minutos. Quando acabei a conversa por telemóvel, voltei à sala e o Técnico do Lar, o Sr. Emanuel disse-me apenas isto: "Isso estava difícil." Só me deu vontade rir com aquilo. Na quarta-feira, levantei-me revigorado pois sabia que viria a casa. Também fui "obrigado" a fazer a mala e trazer alguma da tralha, que era a roupa suja. Aqui foi mais uma boa prova de autonomia. Desenrasquei-me sozinho e trouxe a mala do Lar para o Centro de Formação. O dia correu sem grandes sobressaltos e à tarde vim a casa. Vim fazer o balanço à situação em casa (e já agora ver o jogo Barcelona-Benfica que comentei anteriormente noutro post). Foi bom rever a família (até parece que estava há anos fora de casa). A quinta-feira teve duas cenas muito curiosas. Uma provocada por mim involuntariamenre e a outra deixou-me um pouco embaraçado. A primeira passou-se durante a Formação quando Formadora estava a dizer-nos que o teste de Internet seria fácil e que seria uma boa oportunidade de aumentarmos a nossa média no curso. Eu (podendo estar calado, mas não o fiz) respondi-lhe que seria difícil aumentar a minha média. Ela respondeu à altura, dizendo: "Pois, você é um caso à parte. Eu estou a falar com os outros". Eu devia ter ficado calado, mas também tenho direito a um elogio, não? A cena esquisita em que fiquei embaraçado passou-se no Lar quando uma das Técnicas comentou com um outro Técnico que eu tinha uma cara bonita. O melhor que consegui foi disfarçar e fingir que não ouvi nada. Mas sempre é bom ouvir umas coisas assim... acho eu. Neste mesmo dia à noite, dei uma voltinha com o Técnico pela rua onde se situam o Centro e o Lar. Foi engraçado ver aquele sítio à noite. Em seguida comecei a arrumar as roupas porque no dia seguinte seria o final da semana. Sexta-feira (ALELUIA) e era o final da semana muito diferente do habitual. Fiz o teste do PowerPoint e soube a nota do teste de Internet. As coisas correram bem, tanto num como noutro. Ainda fui levar uma vacina (apenas mais um pormenor à semana). Não podia acabar a semana sem uma cena jeitosa, pois estive cerca de duas horas à espera da carrinha que atrasou-se. Depois no caminho para casa, a carrinha ainda fez outro serviço. Levou um grupo de idosos às suas casa e fui "passear" por uma zona que não era a minha. Na minha casa, aconteceu algo inédito e que não voltará a repetir-se nos tempos mais próximos. A casa parecia uma gare de aeroporto. O meu irmão foi embora porque foi jogar futebol para o continente. Eu regressei com a minha tralha do Funchal. A minha irmã regressou da sua viagem de finalistas. A minha mãe diz que nunca tinha feito e desfeito tanta mala no mesmo dia. Fazendo o balanço, foi muito enriquecedor esta estada. Em breve, haverá mais com certeza. Tenho a certeza que estou preparado.

 P.S.: Isto está grande como o caraças. Se não quiserem ler, ninguém os obriga (mas também só lêem esta frase depois de ler tudo)

publicado por Zé Luís às 12:56
Quinta-feira, 06 DE Abril 2006
Uma equipa de futebol que fez sonhar milhões de adeptos. Tanto fez sonhar que fê-los cair com grande estrondo.
Como era de esperar, o jogo foi complicado. O SLB entrou em Nou Camp com três "ferrolhos" (entenda-se Beto, Petit e Manuel Fernandes). Os adeptos encarnados ficaram a saber que têm três grandes jogadores a lançar jogadas de ataque. O problema é que só um deles lança para o lado certo. Estou a falar de Manuel Fernandes. Os outros dois (Beto e Petit) fizeram cá uns passes de morte para os golos do Barcelona que nem vale a pena comentar.
Quanto ao Simão deve ter um amigo cardiologista. Só assim se explica o facto de ele ter falhado aquele golo (quase) certo. Com aquela "brincadeira", deve ter assassinado uns adeptos só com o susto. Eu não morri. Apenas entrei em estado de choque. Outros precisarão certamente dos serviços do suposto amigo do Simão.
No meio disto tudo, há uma coisa que eu ainda não percebi. Porque é que certos jornalistas insistem em "bater" no Moretto? O homem adiou o nosso "pesadelo" o mais que pôde e até defendeu penaltys. No entanto, continuam a dizer que ele não tem "estofo" para um jogo da Liga dos Campeões. Bem, se defender um penalty do melhor jogador do mundo em Camp Nou não é ter estofo, então não sei o que é.
Quanto à época benfiquista... terminou. Não há mais nada a salvar. Agora começam os jogadores a dizer que querem sair e experimentar outros campeonatos. Falo do Ricardo Rocha. Quando a equipa está mal, estes jogadores tratam de mostrar o seu "grande profissionalismo" e querem logo "saltar do barco". Que vá em paz e só faço votos para que depois não comece a lamentar-se que as coisas não correram como esperava.

P.S: Já lá vão 100 posts e nem sei como. Venham mais 100.
publicado por Zé Luís às 15:24
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
Abril 2006
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
13
14
15
16
17
19
20
22
23
25
26
27
28
29
30
últ. comentários
Este post já é antigo mas faz todo o sentido! Para...
Era perfeito! Mas não sendo possível, pode ser que...
É! Pelo menos desta vez não houve aquele sofriment...
olá, ... olha tens um desafio no meu blogue para c...
Olá, venho aqui hoje, pra te colocar um desafio, o...
Também acho que tens razão, acima de tudo esses ac...
ahahah está certo!
Hum... não se se ele vai conseguir acabar lá. Quer...
pois, azul e preto há é branco que quero dizer, é ...
Serviço público, eu vou-te dar o serviço público, ...
subscrever feeds
blogs SAPO
Olhe as horas, para não perder pitada do jogo
relojes web gratis
Web Counter
No Faxing Payday Loan